Em nome do pai

FRANCE-CINEMA-CANNES-FILM-FESTIVAL-LA FRONTIERE DE L'AUBE

Louis Garrel e seu pai, o diretor de cinema Philippe Garrel.

Philippe é um diretor com a mesma importância de François Truffaut no mundo do cinema francês e confesso que só escutei falar dele depois que descobri seu filho no cinema. A partir daí, fui conferir alguns de seus filmes – Amantes Constantes e A Fronteira da Alvorada – ambos com fotografia em preto e branco.

Amantes Constantes conta a mesma história de Os Sonhadores, mas de uma maneira bem nouvelle vague, o maio de 1968, a revolução estudantil, o nascer de idéias. O filme tem mais de 3h de duração e é para poucos mesmo – pois é denso, narrativa lenta (bem lenta mesmo), mas por outro lado poético e mais verdadeiro.

Recomendo assistir em doses homeopáticas (que foi o que eu fiz). Garrel, como sempre, excelente em cena, outra que se destaca no longa é Clotilde Hesme (que está sempre presente nos filmes do Christophe Honoré).

Vale a pena. Foi considerado o melhor filme de 2005 na França.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: